O atual estado humano

Romanos 1:29 …estando cheios de toda a injustiça, malícia, cobiça, maldade; cheios de inveja, homicídio, contenda, dolo, malignidade; sendo murmuradores, detratores, aborrecedores de Deus, injuriadores, soberbos, presunçosos, inventores de males, desobedientes ao pais; néscios, infiéis nos contratos, sem afeição natural, sem misericórdia;os quais, conhecendo bem o decreto de Deus, que declara dignos de morte os que tais coisas praticam, não somente as fazem, mas também aprovam os que as praticam.
O verso citado acima aborda com perfeita exatidão o atual estado humano. Vivemos dias em que somos testemunhas de uma sequência sem fim de injustiças, conceitos morais duvidosos e uma série de ações do homem contra o próximo.
O HOMEM
Quando olhamos para a bíblia, para a criação do ser humano, vemos um ser criado a imagem do Deus Todo Poderoso, que após ceder a tentação de Satanás se torna um ser corrompido e imperfeito.
A simples decisão pelo pecado, nos leva a uma segunda grande decisão: Permanecermos fitados nesse caminho ou nos arrependermos. Infelizmente a humanidade não tem se arrependido e as escolhas tem sido de abismo em abismo.
Nós seres humanos, “ bons” ou “maus” , somos formados. Assim como cada um adquire uma educação boa ou má, adquirimos uma forma e essa formação é caracterizada pela proximidade ou pela distância que apresentamos em relação a Deus.
A RUÍNA
A distância que a humanidade apresenta em relação a Deus explica de modo simples por que estamos onde estamos. Nossa vontade não quer Deus e talvez o fato d’Ele ser quem é nos incomode, pois deixa claro que não somos, nem por um instante, algum tipo de deus.
Como Agostinho notou, Deus por ser Deus, ofende o orgulho humano.
Quando escolhemos não compreender Deus e sua verdade, nosso intelecto funciona de modo errado tentando colocar em cena uma “verdade” que esteja de acordo  com a ideia de que o homem é deus.
Assim, os sentimentos, as emoções e as sensações começam a conspirar a favor da falsa realidade. A estrutura do homem, antes organizada de modo que o Deus verdadeiro era o fundamental, o principal e a pedra angular, se torna desorganizada, colocando o corpo, a carne, em um lugar que antes era de Deus. Daí, dá-se origem a todo tipo de idolatria e o resultado é a criação de Deus adorando a qualquer coisa que não seja o Deus verdadeiro, incluindo a si próprio.
OS EFEITOS
Além de nos colocar na direção da ruína, a distância de Deus nos traz o conceito de estarmos perdidos.  Algo perdido é aquele que não está onde se espera, por isso não está integrado à vida do seu proprietário. Quando estamos perdidos para Deus, não somos alcançados por sua vida, não nos tornamos participantes de sua natureza divina e nem escapamos da corrupção que há no mundo.
Quando estamos perdidos, não sabemos por onde ir, nem por onde seguir, e este é o conceito de pecado, errar o alvo que é Cristo. Se não formos alcançados por Deus e sua graça, somos destinados a condenação eterna, que é o lugar para o irreparavelmente inútil. Sem Deus, ainda que tenhamos grande força, ela fica na direção oposta e passamos, ainda que sem intenção, a nos opor a Deus e seus objetivos. Obviamente, ninguém desejar ir para o inferno ou se tornar o tipo de pessoa que vai pra lá, mas a orientação de vida escolhida os tornam o tipo de pessoa que este é o único lugar que os serve. Não se perde o céu por um fio de cabelo, mas por um esforço constante de evitar e fugir de Deus.
A VOLTA
A alma arruinada deve reconhecer sua ruína, antes de poder descobrir como entrar num caminho diferente, o caminho da vida eterna e transformação do seu ser.
É necessário entender que somos pecadores e que necessitamos do perdão dos nossos pecados para nascer para Deus. Tal entendimento, junto com a disposição de se submeter a graça e misericórdia de Deus, dá início a transformação do ser humano corrompido para um ser eterno e irrepreensível. Tal transformação começa aqui e agora e semeia para a eternidade. Este é o caminho natural da vida que fui do alto.
* O texto tem como base os primeiros capítulos do livro a renovação do coração de Dallas Willard

Enviar um comentário

0 Comentários