Acabe culpou o profeta, Nero culpou os cristãos, a igreja culpou os dois.

                 Por Michael Bresciani 

 Uma nação que está se aproximando cada vez mais da reprovação moral total não deve correr para a fonte da sabedoria teológica ou da advertência profética. Mas visto que Deus tem sido cuidadoso em nos dizer repetidamente o quanto ele nos ama (João 3: 16) e aqueles no mundo ao nosso redor, é apropriado que seus mensageiros sejam tão implacáveis.
   Usamos exemplos bíblicos para nos ajudar a ver nosso estado, alguns mais eficazes do que outros, e, no entanto, alguns são tão visíveis que as pessoas podem querer matar o mensageiro. Não machuque o bocal, mas não deixe de ouvir o clarim da trombeta. 
   O dia está se aproximando rapidamente, no qual o desdém que as pessoas sentem agora com a repreensão do profeta, pregador e mensageiro, será dado a anseio por outra chance de ouvir e ouvir a mensagem; o tinido parecerá um som agradável, mas há muito engolido a tempo.
Nero cobriu seu mal culpando os cristãos pela queima de Roma. Muito mais para trás no tempo, o rei Acabe culpou o profeta Elias por incitar toda a nação de Israel. Elias, que nunca cortou as palavras, atribuiu claramente todo o problema em Israel a Acabe. Isso quase lhe custou a vida. E agora a história começou a se repetir.
   As primeiras palavras da boca de Acabe ao ver o profeta foram;
“E sucedeu que, vendo Acabe a Elias, disse-lhe Acabe: És tu aquele que perturba a Israel?” (1Rs 18:17)
O profeta respondeu com isso;
“E ele respondeu: Eu não tenho perturbado a Israel; mas tu e a casa de teu pai, porque deixastes os mandamentos do SENHOR e seguistes os baalins. ”(1Rs 18:18)
De comediante americano e comentarista político Bill Maher irreverente assume Deus e seu povo, aos onze cristãos mortos todos os dias ao redor do mundo - o mundo começou novamente a culpar os cristãos para todos os seus males e problemas insolúveis.
   Quem é o culpado e qual é o custo
A América é culpada por seus próprios problemas, não pelas vozes que se levantam e advertem.
Os cristãos não têm culpa, mas responderemos a Deus por nossos próprios extremos e grosseiros comportamentos imorais.
   Não há preço ligado a essas coisas?
• A morte de 60.000.000 (sessenta milhões) de bebês perfeitamente saudáveis ​​• A intimidação de todos os preceitos morais conhecidos pelo homem sob as perversões do movimento LGBT. • A corrupção de nossa juventude sob a tutela de professores esquerdistas progressistas de esquerda, da escola primária à faculdade. • A promoção de todas as religiões de muçulmanos a grande graça do papai e suas cruzadas evangelísticas na TV.
   Se devemos, quando é a primeira fatura?
Se foi o antigo Israel, as nações modernas ou o exemplo visto na parábola do Filho Pródigo, o único caminho que Deus responde a todos eles sempre começa da mesma maneira. Simplificando, é a remoção de toda a riqueza, oferta e excesso.
   Sodoma, esse antigo bastião de perversão foi julgado quando ela chegou a um estado que a América há muito já passou.
“Eis que esta foi a iniqüidade de tua irmã Sodoma, orgulho, plenitude de pão e abundância de ociosidade estava nela e em suas filhas, nem ela fortalecia a mão do pobre e necessitado.” (Ezequiel 16:49)
Podemos ter certeza de que tudo o que aconteceu antes de derramar fogo e enxofre em Sodoma incluiria o fim da “plenitude do pão” - agora você tem a chave!
   O que veremos primeiro nesses Estados Unidos é o que este escritor se referirá como “ov ov penury”, em toda a sua simplicidade gritante que significa um tempo de extrema pobreza e escassez.
Com a nossa economia atualmente crescendo, essa previsão pode parecer pura tolice. Achamos que temos nossa economia em nossas próprias mãos, mas a realidade é que não é e nunca foi. Na passagem seguinte, cabe a nós tomar nota da palavra "instantâneo".
Fonte: Amazines